Pular para o conteúdo
Voltar

PM organiza reunião de análise criminal com comandantes de Cuiabá, Várzea Grande e unidades especializadas

Na avaliação do coronel Rodrigues, os indicadores criminais apontam que as ações de prevenção e repressão à criminalidade, não só da PM, mas do conjunto de órgãos do Sistema de Segurança Pública, vem alcançando o principal objetivo, que é a redução da violência
Alecy Alves | Secom-MT

- Foto por: Sd Luiz Souza/PMMT
A | A

Em reunião no Quartel do Comando Geral da Polícia Militar, comandantes regionais de Cuiabá e Várzea Grande, das unidades especializadas e da Diretoria da Agência Central de Inteligência fizeram análises de índices criminais e da produtividade e definiram ações estratégicas de prevenção e reforço na repressão à violência.

Coordenado pelo subchefe de Estado Maior e diretor Operacional da PM, coronel Wankley Rodrigues, o encontro ocorreu nesta sexta-feira (18.09) e se estendeu por quase três horas, com a participação dos coronéis Esnaldo Moreira (1º Comando Regional), José Nildo Oliveira (2ºCR), Carlos Eduardo Pinheiro (Comando Especializado), Fábio Andrade (Diretoria de Inteligência) e outros oficiais.

As análises feitas incluem a produtividade, que são as apreensões (droga, armas de fogo, veículos), prisões, entre outros dados. De acordo com levantamento da Superintendência de Planejamento Operacional e Estatísticas (Spoe), de 1º de janeiro e 13 de setembro deste ano a Polícia Militar apreendeu 3,1 toneladas de drogas, 1.570 armas de fogo, fez 1.450 prisões por mandados em aberto e 9.060 prisões em flagrante delito.

O subchefe de Estado Maior e coordenador Operacional, coronel Rodrigues, explica que reuniões como essa são habituais e visam o fortalecimento das ações de segurança e a definição de novas estratégias gerais e pontuais.  

Na avaliação do coronel Rodrigues, os indicadores criminais apontam que as ações de prevenção e repressão à criminalidade, não só da PM, mas do conjunto de órgãos do Sistema de Segurança Pública, vem alcançando o principal objetivo, que é a redução da violência. Um exemplo é a queda de 38% no índice de roubos, conforme apontou a estatística do primeiro semestre deste ano, na comparação com o mesmo período de 2019.

Todavia, Rodrigues lembra que é contínua a necessidade de analisar, definir estratégias e reforçar o trabalho. Ele lembra que desde agosto está em curso nos 141 municípios a Operação Ostensividade Total. E que, no caso de Cuiabá, foi lançada nesta quinta-feira (17.09), a ‘Carga Máxima’, operação da Força Tática direcionada aos locais e horários com maior incidência de roubos, tráfico e homicídios.