Pular para o conteúdo

DIRETOR

 

 

MARILCE NUNES DA SILVA - CAP PM

PALAVRAS DA DIRETORA

     O Museu e Arquivo da PMMT foi efetivado pela Portaria nº 159/DARH-2.SEC/04 de 03SET04, no Comando do Cel. PM. Vitor Hugo Metello de Siqueira, Comandante Geral da PMMT à época, hoje o Museu irá comemorar 11 (onze) anos de existência. Desde então, estamos nos esforçando para fazer cumprir o que rege o Art. 1º da Lei nº 11.904 de 14JAN09, Estatuto de Museus e dá outras providências, onde os Museus, serão instituições sem fins lucrativos que conservam, investigam, comunicam, interpretam e expõem, para fins de preservação, estudo, pesquisa, educação, contemplação e turismo, conjuntos e coleções de valor histórico, artístico, científico, técnico ou de qualquer outra natureza cultural, abertas ao público, a serviço da sociedade e de seu desenvolvimento, em suma o Museu da PMMT, possui a missão de Resgatar e preservar a Memória da Polícia Militar do nosso Estado.

      A busca por peças que podem vir a fazer parte do seu do seu acervo, é constante e permanente, pois uma peça pode vir a despertar a curiosidade pela história que ainda não foi desvendada ou descoberta. Vários são os objetos que compõem o nosso acervo, insígnias, fardamentos, equipamentos, fotos e até armamentos, ao longo desses onze anos de existência nos foram doados, e muitas destas doações encontram-se em nossa reserva técnica, e devido a falta de espaço não temos como expor todo nosso acervo.

     Trabalhar em um Museu é muito gratificante, pois um dia nós, eu e você, iremos fazer parte da história da PMMT, seja através de fotos ou fatos. Sem contar que a experiência vivida no Museu é única. Dentro do Museu vivemos com o passado e o futuro ao mesmo tempo, pois o presente já estamos vivendo. Assim como outros, que já tiveram o prazer em trabalhar neste Museu, a experiência será única, pois o turista sempre quando nos visita leva consigo uma parte da história, a qual lhe foi contata. E essa história, acaba sendo contata para outros turistas, que pela curiosidade, acaba vindo nos visitar. Manter viva a história é fácil, o difícil preservar a tradição de anos e anos de história, que muitas das vezes depende de uma ou outra doação para que o quebra cabeça seja montado. O pouco conhecimento e a experiência aqui já adquirida ao longo do tempo neste Museu, já nos capacitou para que as Leis, Decretos, Portarias entre outros documentos referentes a um Museu, sejam as bases de sustentação de um pilar que estamos construindo para gerações futuras.

     A atividade museológica, não e tão complexa ao ponto de não entendermos. Uma dessas atividades, a qual me refiro e o Plano Museológico. Conforme Seção III do Art. 44 da citada Lei, e dever dos Museus elaborar é implementar o Plano Museológico nos Museus. A partir daí, começamos a busca pela ampliação de nossos conhecimentos, para poder desempenhar esta fantástica e fascinante atividade, pela busca do conhecimento, pois de certa forma, ao buscarmos, terminamos, mesmo que involuntariamente, uma volta ao passado, imaginando um caminho inverso, na qual mergulhamos no que teria sido a nossa História. Isto tudo, sendo contado através de nossa exposição de fardas, armas, fotos, enfim, de todo tipo de objeto que possam chegar até nós, e que nos permita reportar uma volta ao nosso passado.

     A preocupação, com a preservação e o resgate de nossa história, fez com que pessoas outrora se comprometessem com a nossa memória. O "Museu da PMMT Ubaldo Monteiro da Silva", e tido como um filho, que como todo filho precisa também de atenção, carinho, é o mais importante precisa crescer, se fortalecer e dar bons frutos à nossa instituição, bem como a sociedade. Ai vem a pergunta, Como? Mostrando a estes que a Polícia Militar fez e faz parte de todo contexto histórico de nosso Estado.

     Trabalhar no Museu da PMMT foi e está sendo uma experiência extraordinária para mim, a princípio, totalmente leiga, confesso ter passado por dificuldades, mas tudo foi ficando agradável quando passamos a assimilar melhor a importância e a grandeza Cultural que entremeia as atividades museológicas. A partir daí, entendemos que precisávamos buscar a ampliação de nosso conhecimento, para poder desempenhar essa fantástica atividade, pois de certa forma, nessa busca, terminamos fazendo, mesmo que imaginariamente, o caminho inverso, e mergulhamos no que teria sido a nossa História. Isto, através de contos, fatos, fotos, enfim, todo tipo de objetos que chegam até nós, que nos permite reportar ao nosso passado